Cometa, Asteroide ou Meteoro?

Nesta sexta-feira será comemorado o Dia do Asteroide. Para entrar no clima, o GOA publicará todos os dias dessa semana uma matéria diferente relacionada a esse vasto assunto! 
 
Talvez você já tenha se perguntado sobre a terminologia correta para os diferentes tipos de rochas espaciais, como: Cometas, Meteoros, Meteoritos e, Asteroides .
 
E para começar bem a Semana do Asteroide, vamos ensinar como diferenciar cada um deles!
 
Asteroides são pedaços maiores de rocha que vêm, geralmente, do cinturão de asteroides localizado entre as órbitas de Marte e Júpiter. Às vezes, suas órbitas ficam perturbadas ou alteradas e alguns acabam se aproximando do Sol e da Terra.
 
Cometas são muito semelhantes aos asteroides, mas podem ter mais gelo, metano, amônia e outros compostos que desenvolvem uma cauda quando se aproxima do Sol. Sabe-se que os cometas são originários de duas fontes diferentes: os cometas de longo período (aqueles que levam mais de 200 anos para completar uma órbita ao redor do Sol) são originários da nuvem Oort (nuvem esférica que envolve o Sistema Solar a quase um ano-luz de distância do Sol). Cometas de curto período (aqueles que levam menos de 200 anos para completar uma órbita ao redor do Sol) são originários do Cinturão de Kuiper (área do Sistema Solar que se estende desde a órbita de Netuno, a 30 UA do Sol até 50 UA do Sol).
 
Meteoroides são pedaços de matéria interplanetária, menores que um quilômetro e maiores que um grão de poeira. A maioria dos meteoroides que entram na atmosfera da Terra são tão pequenos que se vaporizam completamente e nunca alcançam a superfície do planeta. E quando eles entram na atmosfera da Terra, eles ganham um nome diferente.
 
Meteoros. Outro nome comumente usado para um meteoro é estrela cadente. Um meteoro é o feixe de luz que vemos no céu noturno quando um pequeno pedaço de detrito interplanetário queima ao atravesar a atmosfera. Refere-se ao feixe de luz causado pelos detritos, e não aos próprios detritos.
 
Meteorito. Se alguma pedaço de pedra espacial restar após a queda na Terra, é chamado de meteorito. Embora a grande maioria dos meteoritos seja muito pequena, seu tamanho pode variar de cerca de uma fração de grama até toneladas. Se tiver mais um quilômetro, pode causar um grade impacto destruidor acabando com várias espécies numa área de centenas de quilômetros. Em média, a cada um milhão de anos, um desses desastres ocorre [1].
 
O designer Tim Lillis fez um infográfico ilustrando essas diferenças, e a nossa bolsista Dayana Seschini gentilmente traduziu-o para nós. Segue abaixo.